Logan | Crítica - Popcorn Station Logan | Crítica - Popcorn Station

Ads Top

Logan | Crítica


Logan (Logan)
Elenco: Hugh Jackman, Patrick Stewart, Dafne Keen, Boyd Holbrook, Stephen Merchant, Elizabeth Rodriguez, Richard E. Grant.
Direção: James Mangold
Data de lançamento: 2 de março de 2017



Diretor do aclamado Garota Interrompida (1999) e de Wolverine: Imortal (2013), James Mangold teve a difícil tarefa de nos trazer um Wolverine totalmente diferente do que estávamos acostumados. Baseado em Velho Logan de Mark Millar e Steve McNiven, Logan retrata um Wolverine velho, cansado e doente. O ano é 2029 e não nascia nenhum mutante há 25 anos. Logan (Hugh Jackman) vive escondido junto com Charles Xavier (Patrick Stewart) e Caliban (Stephen Merchant), um mutante com poderes de localização, numa fábrica abandonada na fronteira do México. Xavier está totalmente fragilizado pela velhice e, já nonagenário, sofre com episódios de descontrole de seus poderes telepáticos causando efeitos destruidores.

Tudo muda quando a enfermeira Gabriela López (Elizabeth Rodriguez) aparece pedindo a ajuda de Logan para proteger uma criança, Laura Kinney (Dafne Keen). Gabriela e Laura vêm sendo perseguidas por Donald Pierce (Boyd Holbrook), líder de um grupo de mercenários aprimorados ciberneticamente e Gabriela vê em Logan a sua única chance de salvar Laura, assim, ela oferece dinheiro a ele para levar Laura para um lugar chamado Éden, na Dakota do Norte. Mesmo Logan se recusando a priori, Laura passa a ser de sua responsabilidade, principalmente depois de descobrir que a menina foi gerada a partir de seu DNA, ou seja, é sua “filha”. A partir de então eles viram alvo do grupo de Donald Pierce e o que se segue é uma fuga difícil, delicada e dolorosa.

O desenrolar da história é dinâmico ao mostrar os fatos-chave, o que ajuda o filme a não ficar cansativo, levando em conta que ele possui pouco mais de 2 horas. E a exposição das condições psicológicas e físicas de Logan e Xavier são honestas e dolorosas na medida certa, fugindo do sensacionalismo. As cenas de ação e luta são extremamente empolgantes, sangrentas e violentas. Hugh Jackman que interpreta Wolverine há 17 anos, em 9 filmes, desenvolve com maestria a nova roupagem que o personagem ganha no filme. Patrick Stewart, na pele de Charles Xavier pela 7ª vez, têm uma interpretação muito fluida e verdadeira da condição frágil do Professor. Dafne Keen dá vida à uma Laura visceral e autêntica, que faz jus a uma mutante “filha” do Wolverine.

Logan comete a proeza de agradar fãs dos quadrinhos e também aos que somente acompanharam 17 anos de filmes sobre o universo X-men. Ao final, o que temos é um filme maduro, sincero, sangrento e melancólico. Com um desfecho digno para James Howlett, o eterno Wolverine.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.