Arrow - 5° Temporada | Crítica - Popcorn Station Arrow - 5° Temporada | Crítica - Popcorn Station

Ads Top

Arrow - 5° Temporada | Crítica

Arrow - 5° Temporada
Elenco:Stephen Amell, David Ramsey, Emily Bett Rickards, Willa Holland, Paul Blacktorne
Criação: Greg Berlanti, Andrew Kreisberg, Marc Guggenheim
Estréia: 05 de outubro de 2016



Mais um ano da série do caçador esmeralda chegou ao fim e Arrow continua dividindo opiniões, se um dia a série já foi unanimidade como uma reinvenção do gênero pra televisão, hoje ostenta diversos elogios, mas também um número incontável de críticas, principalmente após a série trocar o tom mais realista das temporadas iniciais, por uma pegada mais fantasiosa, levada no embalo da expansão do Arrowverse. 

Essa temporada tentou resgatar a essência trazida pelos dois primeiros anos (memoráveis), destacando novamente o tom vigilante do Arqueiro Verde e o colocando frente a frente com ameaças mais realistas, entre elas o vilão Prometheus, que aqui já destaco como o ponto alto da temporada e possível responsável por uma mudança radical no que está por vir. 

Vimos um Oliver assombrado pelo seu passado e tendo toda sua cruzada colocada em xeque, ao ser confrotado pelo seu nêmeses que chega a ser tão impiedoso psicologicamente quanto é na luta corporal, quase uma versão do que “o capuz” representava para os corruptos de Star City em seu primeiro ano de atividade. 

Ainda esbarrando em alguns problemas, como o recorrente romance sem início, nem fim de Oliver e Felicity, a série acaba perdendo muitas vezes o foco e o rumo, nos levando novamente pra lugares que já não desejávamos mais visitar (aquela 3° temporada, cara). Sempre bom destacar que esta temporada foi responsável pelo grande marco que foi o centésimo episódio da série, que aconteceu durante o grande crossover da CW e entregou um grande episódio, repleto de participações especiais e que deixou claro também o que essa temporada queria mostrar, até que ponto Oliver Queen é refém do seu passado. Outro ponto positivo é o fim dos enfadonhos flashbacks, que também se mostravam incrivelmente harmonizados no início, mas assim como toda a série, passaram a não fazer muito sentido com o tempo.

Com um final um tanto quanto enigmático e eu diria até psicologicamente carregado, a série que já tropeçou bastante nas próprias pernas, parece estar bem próxima de reencontrar seu rumo, deixando pra trás praticamente tudo que vimos até o momento e deixando o telespectador, aparentemente, sem pistas do que o próximo ano trará. Nos resta aguardar pela próxima temporada, já garantida e torcer pra que esse provável reboot nos mostre o Arqueiro Verde já ciente de qual caminho tomar e do que é preciso fazer com aqueles que falharem com Star City.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.