The Mist - 1° Temporada | Crítica - Popcorn Station The Mist - 1° Temporada | Crítica - Popcorn Station

Ads Top

The Mist - 1° Temporada | Crítica

The Mist – 1° Temporada
Elenco: Morgan Spector, Alyssa Sutherland, Gus Birney, Danica Curcic.
Criação: Christian Torpe.
Estreia: 22 de junho de 2017.

★★

Como mensurar se uma obra deve ser adaptada para um filme, com uma duração razoável e relativamente menos espaço para contar a história, ou se essa mesma adaptação deve ir para a TV e dai passar por um desenvolvimento maior? O material base deve ser levado em conta, as vezes tentar aumentar demais o conteúdo de algo que foi feito para ser explorado em tiro curto pode não ser uma boa ideia. Claro, tudo vai depender de como a ideia é transformada e o programa ou filme concebido.

Um dos contos mais famosos de Stephen King, passou por esse processo. O Nevoeiro, que já havia sido adaptado para os cinemas em 2007 por Frank Darabont, agora chegou à televisão pelo canal Spike, desenvolvida por Christian Torpe.

No conto, uma pequena cidade é envolta por uma névoa que começa a revelar o pior em seus habitantes, enquanto acompanhamos a luta pela sobrevivência de um pai e seu filho e vemos a reação dos demais habitantes da cidade ao pior dos temores, a natureza humana.

A série demonstrou uma premissa que expandiria o universo mostrado tanto na obra original, quanto no filme, tendo mais tempo para a evolução dos personagens e por consequência da história como um todo, porém, não foi o que se notou ao longo dos dez capítulos da série, ou pelo menos, não de forma interessante.

Personagens que não traziam consigo nenhum carisma e nem conseguiram desenvolve-lo ao longo dos episódios e uma trama que não possuía muito bem um ponto de partida e um ponto de chegada, deixaram a série realmente envolta em um nevoeiro que confundia quem assistia e pouco cativava. Houveram poucos momentos de real destaque e nem sequer o clima tenso e horripilante do nevoeiro descrito no livro e trazido para o filme, foi capaz de ser bem retratado na série.

Por fim, a tentativa de expandir um conto que tinha uma trilha bem formada, parece ser um tiro no pé de mais uma adaptação pouco convincente das obras de Stephen King, que ainda carece de uma representação melhor de seus livros nas telas. Como impressão final, parece que a série quer se usar do universo criado para tomar seu próprio rumo, o único problema é que a caminhada já começou um tanto errada e muita coisa precisa ser revista caso haja uma nova temporada.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.